fbpx

Confebras participa do 8° Fórum Técnico Conjunto

“O cooperativismo é um sistema de inclusão e um exemplo que deve ser seguido”, diz o diretor de Fiscalização do Bacen, Ailton Aquino 

A Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito (Confebras) marcou presença no 8° Fórum Técnico Conjunto, que aconteceu na sede do Banco Central, em Brasília (DF), nos dias 27 e 28 de novembro. O evento foi transmitido ao vivo, por meio do canal do Banco Central no Youtube e teve como tema central “Performance e Excelência Operacional nas Cooperativas de Crédito”. 

Durante o primeiro painel “Como somos vistos? A percepção do Cooperativismo de Crédito pelo olhar do brasileiro e como expandir o entendimento sobre o nosso modelo de negócios”, a gerente de Marketing do Sistema OCB, Samara Araújo, apresentou o resultado da pesquisa que foi desenvolvida pela empresa TM20. Em formato online, 11.520 pessoas participaram da entrevista, que abordou o contexto competitivo das cooperativas, seus diferenciais, conceito e também as barreiras do desconhecimento. Samara encerrou a apresentação fazendo recomendações de melhorias para o modelo de negócio, baseado nos dados apresentados pela pesquisa. Ela ressalta que “é preciso investir em comunicação, valorizar mais a tecnologia e inovação e falar com o público jovem, se queremos despertar o interesse da sociedade para o negócio cooperativista”. 

Na sequência, o FGCoop apresentou um panorama sobre a “Gestão Eficaz dos Riscos nas Cooperativas de Crédito”. A análise divulgou uma versão final do novo modelo de avaliação de risco de descontinuidade e lançou uma ferramenta de avaliação da performance das Cooperativas Clássicas. Com a nova ferramenta, as associadas poderão se autoavaliar com as demais da mesma categoria e porte. A iniciativa do FGCoop integrará o projeto Confebras Une, plataforma lançada este ano pela Confebras, cujo objetivo é fomentar a partilha de produtos, serviços e soluções entre cooperativas independentes, centrais, sistemas de crédito cooperativo e instituições do setor cooperativista. 

No encerramento do primeiro dia, a superintendente da Confebras, Telma Galetti, apresentou o painel “Conectando Forças: A arte da intercooperação”. Telma destacou a importância da intercooperação entre as Cooperativas de Crédito e apresentou as diversas iniciativas que a Confebras tem investido, com destaque para os projetos Confebras Une, ProsperaCoop, que incentiva as boas práticas ESG e a plataforma de dados do coop financeiro, o BureauCoop 

“Acreditamos na força do 6º princípio cooperativista, a Intercooperação, para proporcionar o desenvolvimento e perenidade do cooperativismo financeiro, sobretudo para as cooperativas singulares independentes, nossa prioridade no Une, que reverberá para todo o ecossistema do SNCC”, afirma Telma. 

A chefe adjunta do Desuc (Bacen) parabenizou a concretização do projeto Confebras Une. “Tivemos uma conversa muito importante sobre intercooperação em junho e é muito bom já poder ver os frutos dessa iniciativa da Confebras, que é tão importante para o cooperativismo”, avalia Sandra Castro. 

Durante a sua participação no painel, o presidente da Confebras, Moacir Krambeck, convidou as instituições a unirem forças e transformarem seus princípios em atitudes. “Em 2012, a ONU nomeou 2025 como ano internacional do cooperativismo e esperamos que a gente chegue lá mais cooperativista, pois, esse é o caminho para superarmos os diversos desafios do mercado e atuarmos com propósito. Só que para isso acontecer, precisamos mudar, mas essa mudança precisa começar por nós mesmos”, afirmou. 

“Performance e Excelência Operacional das Cooperativas de Crédito” 

O segundo e último dia do evento contou com uma exposição focada no papel do Banco Central, a partir do painel “Banco Central: Fundos Garantidores no Brasil e no Mundo”. No final da apresentação, foi firmado um convênio entre o FGCoop e o Bacen que permitirá ao Fundo Garantidor do Cooperativismo aprimorar a sua performance e atividades.   

Representando o Bacen, o diretor de Fiscalização Ailton Aquino, ressaltou o impacto positivo das cooperativas no desenvolvimento econômico regional e reforçou o apoio do Banco Central para as instituições seguirem competitivas no mercado. “Temos uma agenda muito clara de inovação do sistema financeiro – temos o Pix, o Open Finance e o Real Digital – e nós reconhecemos as cooperativas como instrumento de competição. Portanto, seguiremos fomentando ações de inclusão e competitividade para que estas instituições não deixem de participar desse processo.” 

Aquino também elogiou as práticas sociais e ambientais promovidas pela agenda ESG do sistema cooperativista “é um sistema de inclusão e é um exemplo que deve ser seguido”, afirmou. 

Durante a mesa de encerramento, o vice-presente da Confebras, Luiz Lesse, parabenizou a intercooperação entre a Confebras, OCB, FGcopp e o Bacen na promoção de um evento tão significativo, onde as entidades participantes tiveram a oportunidade de mostrar os seus feitos.  

Lesse fez uma avaliação sobre o quanto o cooperativismo evoluiu ao longo dos tempos, mas também chamou atenção para o que ainda precisa ser feito. “Os dados apresentados neste fórum mostram que estamos no caminho certo, mas não podemos esquecer que temos também muitos desafios pela frente, por isso, precisamos estar cada vez mais unidos e aprimorarmos a nossa governança”. 

Nívia Cerqueira – Comunicação Confebras

Previous slide
Next slide
Facebook
Twitter
LinkedIn

O que você achou desse conteúdo?

Receba nosso conteúdo por e-mail

Confira, em primeira mão, todas as novidades, notícias e informações sobre o universo do cooperativismo.
©CONFEBRAS | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS