fbpx

A obra “Os Dois Pinheirinhos Continuam Firmes?” revisita os fundamentos cooperativistas

Imagine só ter, aí na sua biblioteca ou cooperativa, uma obra de referência sobre o cooperativismo? É exatamente esse o perfil de “Os Dois Pinheirinhos Continuam Firmes?”, de autoria de Antônio Menezes, um dos excelentes livros com o selo da Editora Confebras.

Menezes estimula o leitor a uma importante reflexão sobre o cooperativismo brasileiro, com base em trechos de outro livro fundamental – “História das Doutrinas Cooperativistas”, de Gromoslav Mladenatz – cuidadosamente selecionados e ricamente debatidos. O resultado é a construção de um embasamento teórico e doutrinário do cooperativismo, bem como de sua função social e do impacto comunitário positivo advindo da atuação das cooperativas.

Como forma de sistematizar esses conhecimentos a quem acompanha os canais de comunicação da Confebras, convidamos o autor Antônio Menezes a nos trazer alguns dos principais pontos de contribuição da sua obra, para a compreensão do sistema cooperativista. E veja como são interessantes os insights que ele nos entrega:

1. Um símbolo forte

A partir da proposta da Organização das Cooperativas da América (OCA), uma das principais entidades representativas do cooperativismo do mundo, o Brasil adota o pinheirinho como símbolo do cooperativismo. Como nos lembra Menezes, é uma árvore associada à fecundidade, à resistência e à força da união, valores fundamentais para o cenário cooperativista.

2. A fidelidade aos valores

Mencionando a professora Diva Benevides Pinho, referenciada em “Os Dois Pinheirinhos Continuam Firmes?”, Antônio Menezes revisita o conceito de homem cooperativo, relacionado às noções de solidariedade, ajuda mútua, equidade, democracia, honestidade e cooperação. “Os associados de cooperativa devem ser convidados constantemente a se manifestarem sobre esses valores em suas cooperativas. Está tudo indo em ordem? É uma pergunta a se fazer todo dia”, reforça Menezes.

3. As bases e o olhar dos pioneiros

Na análise do próprio livro, o autor também menciona a importância de as cooperativas manterem lealdade à grandeza e à seriedade do projeto cooperativista. É algo evidenciado, especialmente, na seção da obra dedicada aos pioneiros, cujos ideais Menezes aconselha o estudo constante. “Tinham eles problemas em comum e, resolvendo-os, firmaram alicerces para o futuro e para o mundo todo”, observa.

4. A importância das Organizações

Menezes destaca, ainda, que a causa do cooperativismo deve muito às organizações que congregam cooperativas e trazem direcionamento e ordenamento ao movimento. Citando o exemplo da Confebras, e também de entidades como a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e organizações similares atuantes nos Estados, ele menciona que “esse esforço conjunto só pode conduzir ao sucesso”, reforçando o papel global da Aliança Cooperativa Internacional (ACI) em nortear a atuação de todo esse conjunto representativo.

5. Cooperação é pedra angular

Como um último ponto de análise do livro “Os Dois Pinheirinhos Continuam Firmes?”, Antônio Menezes registra que a cooperação é o pilar fundamental que dá base à atuação cooperativista. E isso nunca pode ser esquecido. O escritor lembra que, dessa visão, parte o conceito de cooperativa presente na Política Nacional de Cooperativismo, e aconselha: “Lembremos que o termo cooperativa representa união, democracia e sucesso. Então, é fundamental, dentro do cooperativismo, cuidar bem dos dois pinheirinhos”.

Sem dúvida, é uma excelente abordagem acerca dos princípios e fundamentos do cooperativismo. Adquira agora mesmo a obra completa no link da livraria virtual da Editora Confebras.

Facebook
Twitter
LinkedIn

O que você achou desse conteúdo?

Receba nosso conteúdo por e-mail

Confira, em primeira mão, todas as novidades, notícias e informações sobre o universo do cooperativismo.
©CONFEBRAS | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS