Escolha uma Página

Importantes momentos e conquistas na história da Confederação Brasileira de das Cooperativas de Crédito – Confebras, foram relembrados na última terça-feira, dia 3 de novembro, no webinar ConectCoop, em comemoração ao aniversário de 34 anos da instituição. Ex-dirigentes de diferentes períodos fizeram um resgate das principais realizações alcançadas ao longo de mais de três décadas durante o bate-papo mediado pelo atual presidente da Confederação, Kedson Macedo. No evento online também foi lançada uma grande novidade desenvolvida pela Confebras para o Cooperativismo Financeiro: o Bureau Coop. A ferramenta reúne dados sobre o SNCC e já está disponível a todos os interessados no endereço bi.confebras.coop.br/.

Na abertura do webinar, o presidente Kedson Macedo agradeceu a presença dos convidados, que, segundo ele, tiveram uma grande contribuição tanto para o cooperativismo de crédito brasileiro quanto para o sucesso da Confebras e destacou a importância de celebrar a data. “No dia 1º de novembro de 1986, em Vitória (ES), a Confebras nascia graças ao entusiasmo e empenho coletivo de algumas pessoas. De lá para cá passaram-se 34 anos de muita batalha, dedicação, transparência, trabalho e pessoas dedicando sua vida, experiência e competência a esta missão. Grandes feitos foram realizados, da luta pela manutenção das cooperativas do modelo Luzzatti ao marco legal do Cooperativismo de Crédito, além de produtos que a instituição entrega como cursos EaD, publicações da Editora Confebras, eventos como o CONCRED, o Fórum Integrativo e intercâmbios nacionais e internacionais”, enfatizou.

Em seguida, o presidente passou a palavra aos ex-dirigentes da instituição, seguindo a ordem cronológica das gestões. O primeiro depoimento foi de Marconi Lopes de Albuquerque, ex-presidente da Confebras e secretário de Câmaras Setoriais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Ele relembrou que durante sua gestão, entre o final da década de 90 e início dos anos 2000, havia resistência por parte do Banco Central do Brasil em relação ao sistema de cooperativismo financeiro no País, que culminou na determinação de extinguir as cooperativas Luzzatti – modelo italiano de cooperativas abertas à comunidade. “Na época fizemos um grande movimento trazendo líderes cooperativistas internacionais, fazendo seminários e sensibilizando parlamentares, e com isto conseguimos reverter a situação”, explicou, referindo-se à revogação da Resolução 2.771/2000, com a publicação da Resolução 3.106/2003, que permitiu a criação das cooperativas do ramo crédito no sistema de livre admissão.

Presidente da Confebras por três mandatos consecutivos, Manoel Messias da Silva – ex-presidente da Confebras e sócio-diretor da M.Consult Assessoria Empresarial e Organização de Eventos – destacou que em sua gestão, o marco regulatório do setor  tinha muitos pontos a serem aperfeiçoados e que uma audiência com o então presidente Lula para levar reivindicações do setor resultou em uma grande conquista na legislação para o setor. “No final da conversa, o presidente perguntou se eu teria mais alguma consideração e eu aproveitei dizendo que precisávamos regulamentar uma lei cooperativista só para o crédito, o que originou, cerca de cinco a seis meses depois, na Lei Complementar nº 130 (que instituiu o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo – SNCC)”, conta Messias. Ele se orgulha também de ter realizado em sua gestão o primeiro curso de cooperativismo na modalidade EaD.

Na sequência, foi a vez do ex- vice-presidente da Confebras e presidente do Conselho de Administração da Cooperforte, José Valdir Ribeiro dos Reis, relembrar momentos marcantes junto à Confederação, que, segundo o próprio Messias, teve atribuições de um presidente. “Tive que assumir grande parte da atuação, e uma das minhas prioridades foi incentivar e apoiar a ampliação do acervo da literatura cooperativista. Acredito que nesse período editamos uns 10 livros – o primeiro deles a obra “Cruzada”,  da qual conseguimos autorização para traduzir do original em inglês para o português. Esses dois mandatos foram períodos ricos e de trabalho intenso, e tivemos a satisfação de ver uma grande quantidade de obras editadas sobre o Cooperativismo de Crédito”, assinalou José Valdir, figura fundamental no fortalecimento da Editora Confebras, pioneira no País na edição de livros exclusivamente voltados ao segmento e que tem mais de 50 obras editadas.

Rui Schneider da Silva, ex-presidente e atual conselheiro de Administração da Confebras e presidente do Sicoob Central SC/RS, recorda-se que entre os seus desafios à frente da presidência estava o de aumentar o número de associados e de equilibrar as despesas. “Sempre tive um perfil mais de administrador do que de político, então me propus a pensar em soluções para melhorar o sistema e trazer mais associados. Uma das ações foi aprimorar o programa de intercâmbios internacionais. Todos nós, dirigentes, tivemos um papel importante para expandir a Confederação mundo afora, mas não podemos deixar de mencionar que sempre tivemos ao nosso lado funcionários aguerridos. Essa história de sucesso tem um pouquinho do trabalho de cada um e me orgulho de fazer parte desse grupo. Vou levar para a eternidade essa experiência”, relatou o ex-presidente da Confederação.

Para Celso Ramos Régis, ex-presidente e atual diretor da Confebras e também presidente do Sicredi União MS/TO, um dos grandes destaques da sua gestão foi a consolidação do CONCRED como o maior evento do Cooperativismo de Crédito no Brasil. “Depois dos obstáculos que a Confebras enfrentou com  o Congresso de Nova Petrópolis (RS), conseguimos reestruturar o evento e fizemos com que a edição de Manaus (AM) fosse um marco na história da Confederação (nesta 10ª edição, o evento recebeu um público superior a mais de mil congressistas de todos os sistemas e de cooperativas independentes). De lá pra cá, o CONCRED se supera a cada edição. E tenho certeza que o próximo, que será realizado no ano que vem em Recife, no período de 18 a 20 de agosto, será ainda melhor”, orgulha-se.

Lançamento do Bureau Coop

Ao final do webinar, Kedson Macedo aproveitou a data comemorativa para lançar oficialmente a nova ferramenta desenvolvida pela Confebras. O Bureau Coop é um painel de dados interativo com as informações econômico-financeiras das cooperativas de crédito brasileiras, fornecidas pelo Banco Central do Brasil. Neste painel estará contido um rol de informações financeiras e de representação do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), com enfoque nas cooperativas singulares, que são as instituições que atendem todos os cooperados do País.

O diferencial do projeto é permitir que os usuários busquem esses dados de acordo com a sua necessidade. Na plataforma – elaborada utilizando o conceito e ferramentas de Business Intelligence (BI) – será possível visualizar uma análise dos principais dados financeiros e representativos da atualidade, bem como a evolução na última década. Os usuários poderão filtrar dados pelos seguintes índices: estrutura sistêmica a qual a cooperativa está vinculada; a cooperativa central; o perfil dos associados; a categoria da cooperativa; a região do País, o Estado e a cidade. Além disso, é possível pesquisar pelo nome da Cooperativa ou por seu número de CNPJ.

“A Confebras está sempre evoluindo e buscando satisfazer a exigente necessidade do seu público, ou seja, todas as lideranças e pessoas que militam no cooperativismo financeiro no Brasil. E é com grande orgulho que lançamos nesta comemoração dos 34 anos um projeto importante que possibilitará à sociedade brasileira conhecer melhor o setor, principalmente por meio dos seus números. Nesta ferramenta desenvolvida pela Confebras, todos os números do setor poderão ser acessados de forma fácil, interativa e transparente”, observa o presidente.

Já disponível para acesso no site bi.confebras.coop.br, o painel será aperfeiçoado ao longo dos próximos meses.